Município de Alenquer

Heráldica

 
 
BRASÃO DE ARMAS

ARMAS: de prata, castelo de verde, aberto e iluminado de vermelho. Em chefe, à dextra, cinco escudetes de azul postos em cruz com dois flancos virados para o centro e todos carregados de cinco besantes de prata.

BANDEIRA: esquartelada de branco e vermelho, haste e lança de ouro, cordões e borlas de branco e vermelho. Em chefe, à sinistra, cruz de Santiago de vermelho. Em contracheque, duas espigas de trigo amarelo-torrado cruzadas e sobrepostas a uma picareta de mineiro de negro colocada ao eixo do escudo. Escudo Nacional encimado por uma coroa mural de quatro torres de prata. Listel Branco com letras a negro: MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE.

SELO: circular com as peças do escudo inscritas ao centro e rodeadas de um listel com a frase: “MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE”.         
 

SIMBOLOGIA 

Armas falantes: Castelo de verde, simboliza a própria povoação – (Castrum Veteris – O castro veterano, o mais antigo). Os escudetes com as cinco quinas (invocam o “Milagre da Batalha de Ourique”, e a vitória de D. Afonso Henriques sobre os cinco príncipes muçulmanos) referem-se a D. Afonso Henriques e ao “Milagre da Batalha de Ourique”. A Cruz de Santiago alude à importante comenda da Ordem à qual pertenceu Castro Verde. As espigas simbolizam a região e os seus aspetos sócio – económicos. A picareta de mineiro refere-se à riqueza do subsolo do concelho.

O atual brasão do Município de Castro Verde é da autoria de António Moita Galvão. Foi o resultado de um concurso público que se realizou em 1985 e, foi aprovado pela Assembleia Municipal de Castro Verde, a 27 de agosto de 1986, tendo sido publicado no Diário da República, nº 283, III série de 10-12-1986.